Sufrágio

1 de nov de 2011

Festa de Todos os Santos.



                "Glorioso é o Reino no qual todos os Santos exultam com Cristo!
                      Revestidos de branco seguem o Cordeiro por onde Ele vai".

A ideia de honrar todos os Santos numa festa comum nos veio do Oriente e data do IV Século. Festejavam-se então apenas os santos Mártires; a festa era celebrada no primeiro domingo de Pentecostes, como ainda hoje, entre os Gregos. Na Síria ela se realizava na sexta-feira que se segue à Páscoa. Em Roma, o Papa Bonifácio fez transformar em igreja o Pantheon que lhe fora oferecido pelo imperador Focas, edifício que fora construído por Agripa em 27 antes de Jesus Cristo, em honra de Augusto, e dedicado a todos os deuses. Para esta igreja, fez transportar uma grande quantidade de sagrada Relíquias (em 28 carros repletos dizem) e a consagrou à Mãe de Deus e a todos os Santos Mártires em 13 de maio de 1610. Depois disto, a festa de todos os Mártires foi celebrada em 13 de maio ( no tempo pascal, depois da Ressurreição do Salvador). Foi Gregório IV quem transferiu a festa para 1 de novembro ( por causa da dificuldade de acomodação dos numerosos peregrinos que chegava a Roma na primavera) e desse modo, a festa, estendida a todos os Santos, encontrou lugar conveniente no fim do Ano litúrgico para simbolizar a consumação gloriosa do Reino do Cristo e a segunda vinda do Salvador. 

Texto tirado do livro Testemunhas do Cristo ( 1942 )

Todos os Santos e Santas de Deus, Rogai por nós e pelos falecidos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário