Sufrágio

18 de set de 2010

E depois?

Depois, quando nossa alma se separar do corpo, o que constitui a morte,todos nós compareceremos ante o Tribunal Divino e seremos julgados. Que dia aquele e que hora tremenda a da sentença!
Estaremos em face de duas eternidades: " Céu, Inferno.....

depois da morte o juízo.

Daremos contas severas a Deus de tudo. Nossa vida inteira se passou na presença do Senhor que tudo sabe e penetra até os nossos mais secretos pensamentos. " Cada dia, cada instante a Justiça de Deus registrou nossas ações. Cada momento de nossa existência,cada respiração, cada batida de nosso pulso, si assim posso me exprimir, cada manifestação de nossos pensamentos tem consequências eternas.

E esta historia sem igual nos será apresentada um dia".

Sim, toda a nossa vida, e até as nossas mais secretas intenções irão ao Tribunal de Deus, no dia e na hora em que nossa alma se separar deste corpo de morte. Quem é o Juiz? Deus Santo, a Santidade em essência, Deus que tudo sabe e tudo vê, Deus que num instante nos apresenta toda a nossa vida com seus pecados e misérias, bem como as boas obras que fizemos ou deixamos de fazer. Daremos conta também do abuso da graça e dos pecados de omissão.
Meu Deus! Meu Deus! Que tremendo juízo nos está reservado! Que responsabilidade a do cristão em face da morte!
Será a morte apenas um estúpido aniquilamento?
Será uma podridão de vermes numa sepultura, e nada mais além disto?
Ó não, mil vezes não!
A morte é a porta da eternidade, e lá nos lança, despojados de tudo, sózinhos, com o peso de nossos pecados ou de nossas boas obras, na face do Senhor, do juiz terno dos vivos e dos mortos para sermos julgados.
Já meditamos sériamente nisto?
Já pesamos a tremenda responsabilidade da vida?
Entretanto, como se procede tão leviamente em face da morte!
Que insensato são os homens quando nem querem pensar na morte, e procuram se iludir para melhor viverem no pecado!
Daremos contas a Deus de nossa vida.
Exame rigoroso de tudo.....
até "de uma palavra ociosa", diz Nosso Senhor no Evangelho.
E depois? Virá a sentença.
Duas eternidades: céu e inferno!
Acreditam?
Tanto melhor!
Não acreditam?
-Pois não deixará de existir o inferno, nem o céu deixará de ser a mais consoladora das realidades por que alguns materialistas ou cristãos degenerados não querem crer.
Iremos para a casa da nossa eternidade!
Estamos preparados?
Preparados para o Juizo? Então seremos salvos pela Divina Misericórdia si a morte não nos encontrou no pecado e na inimizade de Deus. Somos porém bem puros para comparecermos diante de Deus e entrarmos na vida eterna?
Ai! Quanta miséria e fragilidade!
E fizemos tão pouca penitência, neste mundo, dos nossos pecados!
Resta-nos o Purgatório. Para lá iremos quasi todos, iremos nos purificar, antes da recompensa eterna. Poderíamos dizer em geral: depois do juizo....... o Purgatório!



11 de set de 2010

Depois da Morte....

Com a morte tudo acaba?
Sim é verdade, com a morte tudo se acaba. Lá se vão as riquezas, as honras, o luxo, as glórias terrenas e até nosso pobre corpo tão miserável se transforma num monturo asqueroso e horrível.
Vamos ao pó donde viemos. Tu és pó e em pó te has de tornar.
Seremos quanto ao corpo, nada, pó, um punhado de lôdo.
Todavia, temos uma alma imortal, criada à imagem e semelhança de Deus, e esta não se acaba.
É espiritual.
Separa-se do corpo que ela vivificou, mas não morre. A morte não é mais do que a separação da alma do corpo. Então nem tudo se acaba na morte. Fica o principal, a alma.
Fica tudo - uma alma remida pelo sangue de um Deus.
Não somos um bruto que nasce, cresce e morre e desaparece num monturo para sempre.
- sepultam nosso cadáver, nosso pobre e miserável corpo. Ficamos nós, porém, vivos e imortais.
Não morreremos.
Não morre nossa alma. A imortalidade de nossa alma é uma verdade tão clara,.
Repugna e revolta ao nosso ser todo, a idéia estúpida do materialismo apontando-nos a sepultura e um punhado de pó como a única e última finalidade de nossa existência.
Com a morte tudo se acaba?
Sim, quanto ao corpo, até a ressurreição da carne no dia do Juizo.
E quanto à alma, então sim é que tudo começa.
Começa a eternidade...........
A vida passa depressa. somos crianças neste mundo, sempre iludidos pelas bagatelas e loucuras do
pecado. Andamos à caça borboletas de ilusões.
Depois...... depois...... virá a hora da despedida de tudo quanto é terreno.
E havemos de partir para casa da nossa eternidade.
Diz a Escritura: Irá o homem para a casa da sua eternidade.
Ora, morrer é, pois, ir para casa. Deus é Pai.
Iremos então para a casa de nosso Pai.
Haverá coisa mais bela e mais consoladora? como é bela a esperança cristã!
E como é horrível o materialismo a considerar o túmulo um punhado de lôdo, o último e fatal
destino de um homem!

10 de set de 2010

Protetor dos devotos das Santas Almas.

São Nicolau de Tolentino, advogado das almas do Purgatório.


São Nicolau de Tolentino é um dos Santos mais prodigiosos da Igreja. A vida deste grande taumaturgo é tecido de milagres e prodigios que raramente se encontram em outros santos da Igreja. O Papa Eugênio IV disse: " Não houve Santo desde o tempo dos Apóstolo que superasse a São Nicolau de Tolentino em número e grandeza de milagres". Dentre as obras de caridade do grande Santo, a principal era o socorro às almas do purgatório. Fez-se o Protetor do Purgatório e advogado das almas. É celebre o seguinte prodigio. Em um sabado, o Santo se encontrava na ermida de Valvamanente, junto da cidade de Pézaro, onde havia sido enviado para pregar uma missão. Havia orado muito e feito muitas penitência, maltratando o corpo inocente com duras disciplinas. Resolveu tomar uma hora de repouso sobre um leito duro. Mal havia começado a dormir, quando foi despertado por gemidos lancinantes e doridos como nunca ouvira iguais. Uma vos gemia:
-Irmão meu,Nicolau, homem de Deus, olha-me por favor, não me conheces?
-Dize-me quem és, diz o santo, eu quero ajudar-te.
Que posso fazer para te aliviar?
E uma sombra pálida se movia no ar.
-Ah Nicolau, eis aqui o teu caríssimo Irmão Frei Peregrino de Osino. Há muito tempo que estou atormentado nas chamas do Purgatório onde me encontro pela miseriórdia de Deus, devido aos teu grandes méritos, embora os meus pecados me tenham valido a condenação eterna. Si celebrares amanhã por mim o Santo Sacrifício da Missa, amanhã mesmo eu me livrarei.
Cheio de amargura, o coração de Nicolau parecia estar de dor. Viu que a obediência não lhe permitiria celebrar aquela Missa:
-Meu irmão, Jesus Cristo, por seu Preciosíssimo Sangue te seja propício, mas não posso te atender, pois sou obrigado pela obediência a celebrar esta semana toda nas intenções da comunidade.
- O venerável Padre, então, queira me acompanhar, já que os meus tormentos não te comovem para Santa Missa. Verás os sofrimentos das multidões de pobres almas que imploram teu sufrágio.
Em poucos instantes o Santo se viu levado ao alto de uma montanha banhada de luz e cheia de beleza, mas aos pés deste monte, num imenso vale,um espetáculo triste encheu de horror ao Santo. Multidões de almas se retorciam de dor num brazeiro imenso e gemiam de cortar o coração. Ao perceberem o Santo no alto da montanha, bradavam suplicantes, estendendo os braços e pedindo misericórdia e socorro. " Padre Nicolau, diz Frei Peregrino, tem piedade
destas pobres almas que imploram teu socorro. Si celebrares a Santa Missa por nós, quasi
todas seremos libertas de nossos dolorosos e horríveis tormentos".
Nicolau não poude se conter. como Moisés, passou a noite com os braços estendidos em cruz, implorando misericórdia. Depois, foi ter com o superior e contou a visão.
Obteve licença para celebrar a Santa Missa durante sete dias em seguidas pelas almas do Purgatório.
Frei Peregrino durante a Missa do Santo apareceu-lhe resplandescente de glória cercado de uma multidão de almas libertas do Purgatório que subiam ao céu. Desde então veiu a São Nicolau o título de Protetor das almas do Purgatório. Dai também a origem do piedoso costume de mandar celebrar sete Missas em sete dias consecutivos pelas almas dos defuntos queridos, pais, parentes, amigos, etc.
Invoquemos a São Nicolau de Tolentino na nossas devoção às santas almas do Purgatório. É um rico protetor dos devotos das santas almas.

O santo nasceu na Italía em 1245 dentro de uma de uma familia muito religiosa, seus pais, não podendo ter filhos e para conseguir do céu a graça de que lhe chegasse algum herdeiro, fizeram uma peregrinação ao Santuário de São Nicolau de Mira na cidade de Bari.
No ano seguinte, nasceu este menino e em agradecimento ao Santo que lhs tinha conseguido o presente do céu, puseram-lhe por nome Nicolau.
Com 20 anos , Nicolau ficou impressionado com a pregação de um monge eremita agostiniano. A parti disso acolheu o desafio da vida monástica como eremita.
Ordenado Sacerdote em 1270, foi visitar um convento de sua comunidade e lhe pareceu muito formoso e muito confortável e dispôs pedir que o deixassem ali, mas ao chegar à capela ouviu que lhe dizia. "A Tolentino, a Tolentino, ali perseverará" Comunicou esta notícia seus superiores, e a essa cidade o mandaram. Ao chegar a Tolentino se deu conta de que a cidade estava arruinada moralmente por uma espécie de guerra civil entre dois partidos políticos, o guelfos e os gibelinos, que se odiavam até a morte.
E se propôs dedicar-se a pregar como recomenda São Paulo: " Oportuna e inoportunamente".
E aos que não iam ao templo, pregava-lhes nas ruas.
São Nicolau percorria os bairros mais pobres da cidade consolando aos aflitos, levando os sacramentos aos moribundos, tratava de converter os pecadores, e levando a paz aos lares desunidos. Passava horas e horas no confessionário, absolvendo aos que se arrependia ao escutar seus sermões.
Morreu em 10 de setembro de 1305, e quarenta anos depois de sua morte foi encontrado seu corpo incorrupto.
Em 1446 foi canonizado pelo Papa Eugênio IV.

Hoje 10/09 dia de São Nicolau de Tolentino.

São Nicolau de Tolentino, rogai por nós!

8 de set de 2010

O Maior dos Sufrágios.

A Santa Missa.

Incontestávelmente, não há maior nem mais poderoso e eficaz sufrágio que possamos oferecer a Deus pelos defuntos que a santa missa.
A Igreja não definiu muita coisas sobre o purgatório, mas o essencial dassuas definições está nestes dois princípios, duas verdades de fé que somos
obrigados a crer se quisermos pertencer ao gremio da igreja de NossoSenhor, porque, do contrário, o anátema pesará sobre os descrentes:
O Concilio de Trento define a existência do purgatório, como já vimos, e umasegunda definição: Se alguém disser que o Santo sacrifício da Missa não deve
ser oferecido pelos vivos e os mortos, pelos pecados, penas e satisfações, seja anátema.
Eis ai o sufrágio por excelencia, o verdadeiro sufrágio que podemos oferecer a Deus pelos nossos mortos, na certeza de que é sempre eficaz e poderoso.
No Sacrifício do altar se oferece a grande Vitima e o sacrificador é o próprioCristo Senhor Nosso. É o mesmo sacrifício do Calvário. Tem o mesmo mérito
da Cruz. Donde se conclui que as almas do purgatório recebem da Santa Missa o mesmo tesouro do Sangue Preciosíssimo de Nosso Senhor derramado
na cruz e pela nossa salvação.Pode haver maior sufrágio que a Missa?
Distinguem-se quatro frutos principais do Santo Sacrifício: Um fruto geral,aplicados a todos os fiéis vivos e defuntos não separados da Comunhão da
Igreja; um fruto especial, aplicado aos que assintem atualmente à SantaMissa, um fruto ministerial, que pertence ao celebrante e é inalienável.
Ora, quem não pode aproveitar pois este grande tesouro da Igreja, oferecidacada manhã em nossos altares?
Não há obra mais agradável a Deus nem mais meritória e própria para alimentar a verdadeira piedade, que a assistencia à Santa Missa.
"Não há maior socorro às almas do Purgatório. Quando o padre celebra, diz a Imitação de Cristo, honra a Deus, alegra os Anjos, edifica a Igreja, ajuda os vivos, procura o descanço para os mortos e se torna participante de todos os bens".
A santa Missa é a riqueza do Purgatório, a esperança das santas almas sofredoras. Não podemos oferecer nada melhor e nada mais eficaz para aliviá-las que o Santo Sacrifício. A missa é o sol da Igreja, diz São Francisco de Sales. É o sol que dissipa as trevas do Purgatório. Podemos talvez duvidar às vezes da eficácia e do poder de nossas orações feitas com tantas distrações e em condições tão precárias; mas do poder e da eficácia do Santo Sacrifício, no qual se oferece o Sangue de Jesus Cristo pelas almas, que dúvidas nos pode ficar do valor desta Obra?
Não podemos fazer nada maior nem melhor do que oferecer o Santo Sacrifício pelas almas.

Exemplo.

Graças obtidas pela intercessão das almas do Purgtório.
São inúremos os exemplos de graças obtidas por intercessão das almas do Purgatório. Sua solicitude por nossa alma e por nossa vida corporal é muitíssimo grande. Elas experimentaram ao vivo o que é o dano para um alma, e sofrendo, se compadecem, com imensa caridade de nossas penas. Por isso as almas do Purgatório não só rogam eficazmente por aqueles que oferecem sufrágio por elas, como também com a permissão de Deus, intervêm pessoalmente em nossos perigos e em nossas dores.

Em Paris, no ano de 1817, uma pobre empregada doméstica, educada cristãmente em seu povoado, tinha o piedoso costume de mandar celebrar cada mês, com suas poucas economias, uma missa pelos mortos, assistindo ao Santo Sacrifício e unindo suas orações àquelas do sacertode, para obter a libertação da alma que mais necessitasse. Atacada por longa enfermidade e despedida por seus patrões, não tinha mais dinheiro para satisfazer seu piedoso desejo. No dia em que saiu do hospital só tinha vinte francos.
Encomendou-se com muita fé ao Senhor e se pôs a procurar emprego. Havendo ouvido falar de uma agência, dirigiu-se para lá com esperança de encontrar algum trabalho. Ao passar em frente a uma Igreja se lembrou de que aquele mês não havia mandado celebrar missa de costume, mas não tendo mais que vinte francos vacila em privar-se deles. Triunfando nela a piedade, entrou na igreja e deu os vinte francos, que naquele tempo era o valor da espórtula (da missa) e a faz celebrar assistindo com fervor e rogando à Divina Providência que não a abandonasse. Saiu da Igreja preocupada e aflita por seu mísero estado. Seguindo seu caminho, encontrou um jovem alto, pálido e de aspecto nobre.
Acercando-se dela lhe disse:
-Voce está procurando emprego, não é verdade?
-Sim, meu senhor, responde a mulher.
-Bem, vá a rua.......... número........ com a senhora........ e encontrará onde se empregar.
E desapareceu entre as pessoas sem lhe dar tempo para agradecer.
A boa mulher dirigiu-se imediatamente ao endereço indicado pelo jovem e, ao subir a escada, vê descer uma empregada doméstica com um pacote embaixo do braço.
Pergunta-lhe se a dona da casa estava, mas esta lhe respondeu bruscamente que a senhora a atenderia, já que naquele momento deixava o emprego. A boa mulher se enche de coragem e bate à porta indicada pelo jovem. Vem abri-la uma senhora de aspecto nobre, à jovem contou o que havia sucedido. A senhora, maravilhada, se perguntava quem poderia ter-lhe dado o endereço, já que acabara de despedir a empregada, insolente e por má conduta. Enquanto se supreendia de que um jovem desconhecido lhe tivesse dado o endereço, a empregada levando os olhos para um móvel, apontou o retrato de um jovem que ali estava, levantou-se e disse:
-Aqui, senhora, está o jovem que me falou e da parte de quem venho.
Ante tal afirmação, a senhora deu um grito e caiu desmaiada. Voltando a si, lançou-se ao pescoço da jovem e abraçando-a com efusão, disse-lhe:
-A partir deste momento, considero-a como minha filha e não como empregada, porque foi meu filho, o que perdi há dois anos, quem te mandou e se deve à Missa que mandaste celebrar por sua liberação do Purgatório. Seja pois, bem-vinda e fique voce em minha casa, onde rezaremos juntas por aqueles que sofrem antes de entrar na Pátria Bem-aventurada do Paraíso.
Temos muitos destes fatos, absolutamente verídicos, e todos testemunham a proteção das almas do Purgatório para aqueles que oferecem sufrágio, e se a proteção é evidente nas necessidades temporais, quanto mais nas necessidades espirituais.
Os efeitos desta proteção espiritual não são visíveis como aqueles de proteção corporal, mas as boas inspirações, muitos pensamentos santos que dão vitória sobre tentações e muitas conversões prodigiosas, próxima à morte, se devem às orações destas almas por seus benfeitores.

( exemplo tirado do livro O Purgatório a última das mesericórdias de Deus. Autor Padre Dolindo Ruotolo, Franciscano da Ordem Terceira.)



5 de set de 2010

Ofício das benditas almas do Purgatório.

A Matinas
1- Abrirei meus lábios
Em tristes assuntos,
Para sufragar
Aos fíeis defuntos.

2 - Sede meu favor,
salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profundo.

3- Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

4- Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amem.


Hino

1- Deus vos salve, Cristo
Em vossa paixão,
Redentor das almas
Dos filhos de Adão.

2- Por tal benifício,
Público e notório,
Socorrei as almas
Lá do Purgatório.

3- Não entreis com elas,
Senhor, em juízo,
Para que não tenham
Total prejuizo;

4- Porque na presença
do Crucificado,
Nenhum dos viventes
É justificado.

5- Pelo sacrifício
Da sagrada Missa,
Não useis com elas
Da vossa justiça.

6- Com as tristes almas,
Meu senhor, usai
Das misericórdias
De Deus, vosso Pai.

7- Vós sois o Cordeiro
Todo ensanguentado;
Para o bem das almas
Tão sacrificado.

8- Supra vosso Sangue,
Precioso e santo,
O dever das almas
Que padecem tanto.

9- Peçamos a Deus
A eterna luz
Para os que dormem
Em Cristo Jesus.

10- Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.....



Oremos

Onipotente e misericordioso Deus senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos,
pelos merítos infinitos do vosso Unigênito Filho, e também pelos merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces, para que livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Prima

1- Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profudo.

2-Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

3-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.


Hino

1-Deus vos salve, excelso
Senhor, compassivo,
Das almas que penam
Entre o fogo vivo.

2-Segundo batismo
Lhe dai, senhor,
Batismo de fogo
Purificador.

3-Como em Babilonia
Os três inocentes,
Só de vós se lembram
Nas chamas ardentes.

4-Só a vossa clemência
As pode remir
Do fogo que arde
Sem as consumir.

5-Fogo que formastes
Com tais predicados
Para expiação
Dos nossos pecados.

6-Muito mais ativo
Que o calor do sol,
Peor que uma frágua,
Que um vivo crisol.

7-Supra o vosso Sangue
Que é tão meritório
O dever das almas
Lá do Purgatório.

8-Aplacai das chamas
Também o calor,
Daquele tremendo
Fogo expiador.

9-Peçamos a Deus
A eterna luz,
Para os que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.....

Oremos

Onipotente e miseriordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelos quais fazemos estas preces, para que, livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Tercia

1-Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profundo.

2-Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

3-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.

Hino

1-Deus vos salve, Pai
De misericórdia,
Onde resplandece
A paz e a concórdia.

2-Por tal excelência
Que em vós adoramos,
Socorrei as almas,
Por quem suplicamos.

3-Tão aferrolhadas,
Como Manassés,
Mover não podem
Suas mãos nem pés.

4-Privadas de verem
Ao grande Adonai,
Seu eterno Rei,
Seu divino Pai.

5-Mais penalizadas
Do que Absalão,
Por já não gozarem
De Deus a visão.

6-Como o Santo Job,
Tão amargamente
Lágrimas derramam
Para Deus sómente.

7-Qual o Rei Profeta
Seus olhos aflitos
Estão já enfermos
Por falta de espíritos.

8-Médico divino
Só vossa virtude
Pode dar às almas
Eterna Saúde.

9-Peçamos a Deus
A eterna luz,
Para os que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.....

Oremos

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos méritos infinitos do vosso Unigênito Filho e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelos quais fazemos estas preces, para que, livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Sexta

1-Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profundo.

2-Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

3-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.


Hino

1-Deus vos salve, nosso
Divino Mecenas,
Protetor das almas
Que estão entre penas.

2-Vós sois nosso Irmão
Pela humanidade,
Nosso advogado
Com a Divindade.

3-Derramai mil graças
Dessas vossas mãos,
Sobre aquelas almas
dos nossos irmãos.

4-Obrai, pois, com elas,
Já com brevidade,
Um rasgo estupendo
Da vossa bondade.

5-Apressai as horas,
Chegai o momento
De finalizarem
Seu tormento.

6-Não vos recordeis
Dos tempos passados,
Quando cometeram
Seus grandes pecados.

7-Supra Vosso Sangue,
Tão satisfatório,
O dever das almas
Lá no Purgatório.

8-Acabai as vossas
Correções fraternas,
Para que já gozem
Delícias eternas.

9-Peçamos a Deus
A terna luz,
Para as que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.....


Oremos

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos méritos infinitos do vosso Unigênito Filho e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelos quais fazemos estas preces, para que, livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Noa

1-Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do logo profundo.

2-Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

3-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.


Hino

1-Deus vos salve, Cristo,
Pastor piedoso
Das almas benditas
Do lago penoso.

2-Libertai as almas
Pastor sempiterno,
Daquele lugar
Junto do inferno.

3-Qualquer dessas almas,
Que pena terá!
Porque no inferno
Quem vos louvará?

4-Nesta tristes almas,
Senhor, acabai
Os justos castigos
De Deus, vosso Pai.

5-Supra vosso Sangue,
Tão satisfatório,
O dever das almas
Lá no Purgatório.

6-Quebrai, meu Jesus,
Poderoso e forte,
Aquelas prisões
Dos laços da morte.

7-Seja o vosso braço
O libertador
Das almas que penam
Em tanto rigor.

8-Por vós finalize,
Jesus soberano,
Nessas tristes almas
A pena do dano.

9-Peçamos a Deus
A eterna luz,
Para os que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria....


Oremos

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos merecimentos infinitos do vosso Unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelas quais fazemos estas preces, para que livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Vésperas

1-Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profundo.

2-Nós vos pedimos
Pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

3-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.


Hino

1- Deus vos salve, Filho
Do Onipotente,
Com as tristes almas
Sempre tão clemente.

2-Tende compaixão
Dessas tristes almas,
Que estão padecendo
Rigorosas calmas.

3-Bem como as securas
Do rico avarento,
Padecem as almas
Outro igual tormento.

4-Assim como os servos
Dos vales e montes
Quando sequiosos
Procuram as fontes.

5-Assim mesmo as almas,
Querem excessivas
Só a vós, meu Deus,
Fonte d'aguas vivas.

6-Mandai-lhes, propício,
As águas da graça,
Para melhorarem
Daquela desgraça.

7-O perdão das almas,
Senhor, alcançai,
Das misericórdias
De Deus, vosso Pai.

8-Vosso Sangue seja
Propiciatório
De Deus, para as almas
Lá do Purgatório.

9-Peçamos a Deus
A eterna luz,
Para os que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria.......


Oremos

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos méritos infinitos do vosso Unigênito Filho e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelos quais fazemos estas preces, para que, livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

A Completas

1-Converta-nos Deus
A nós todos juntos,
Para sufragarmos
Aos fiéis defuntos.

2-Sede em meu favor,
Salvador do mundo,
E das almas santas
Do lago profundo.

3-Nós vos pedimos
pronta salvação,
Preferindo aquelas
Da nossa tenção.

4-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Elas já descansem
Para sempre. Amém.

Hino

1-Deus vos salve, esposo
Das almas fiéis,
Que estão padecendo
Tormentos cruéis.

2-Olhai compassivo
Para as fadigas
Dessas que não são
Vossas inimigas,

3-Mesmo assim vos amam
Em tal padecer,
Sem aqueles toques
Do doce prazer.

4-Como as virgens loucas
Foram imprudentes,
Perdoai as suas
Ações negligentes.

5-Celebrai depressa
As núpias eternas,
Como aquelas almas
Humildes e ternas.

6-Conduzí-as logo
A feliz herança
Da vossa suprema
Bem-aventurança.

7-Transportai-as já,
Sem mais dilação,
Para os terbernáculos
Da santa Sião.

8-Por vós, gozem elas,
Sem maior detença,
Os doces efeitos
Da vossa presença.

9-Peçamos a Deus
A eterna luz
Para os que já dormem
Em Cristo Jesus.

10-Ouvi, meu bom Deus,
O deprecatório
Em favor das almas
Lá do Purgatório.

Pai Nosso e Ave Maria......


Oremos

Onipotente e misericordioso Deus e Senhor nosso, supremo dominador dos vivos e dos mortos, pelos méritos infinitos do vosso Unigênito Filho, e também pelos grandes merecimentos da sempre Virgem Maria, sua Mãe, e por todos os merecimentos dos bem-aventurados, concedei propício o perdão das penas que merecem as almas dos fiéis defuntos, pelos quais fazemos estas preces, para que, livres do Purgatório, vão gozar da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Assim seja.

Oferecimento

1-Nós vos oferecemos,
Ó bom Deus propício,
Pelas tristes almas
Este breve ofício.

2-Vós, que sabeis tudo
Quanto nós pensamos,
Bem sabeis que almas
Hoje sufragamos.

3-Participem todas,
Por vossa bondade,
Conforme a justiça
E a caridade.

4-Para que por vós,
Jesus, sumo Bem,
Em paz descansem
Para sempre. Amém.


Final

1- Bendito Jesus, Pai nosso,
Que nos altos céus estais;
Socorrei, como pedimos,
as almas santas que amais.

2-É bendito vosso nome
E também santificado
Pelas almas que absolveis
Do resíduo do pecado.

4-Chegue a elas vosso Reino,
Ouvi seus gemidos ternos,
Fazei-as passar aos vossos
Tabernáculos eternos.

5-Cumpra-se a vossa vontade,
Em que saiam do tormento
Essas almas que suspiram
Pela luz do livramento.

6-O pão que elas desejam
Lhes dai, Senhor, neste dia,
Vós mesmo sois o Pão vivo
Que as farta de alegria.

7-Perdoai quanto vos devem;
Como bom Pai amoroso
Libertai nossas irmãs
Desse lago tormentoso.

8-Lá no céu convosco unidas
Já por sua intercessão
Não nos deixareis cair
Em alguma tentação.

9-Pelas preces que fazemos
Pelas almas em geral,
Livrai-nos, Senhor, das culpas,
O maior de todos o mal.