Sufrágio

23 de out de 2011

A vida Eterna é advertência eficaz quando nos assaltam as tentações.


Estando S. Paulo em Cesareia, o procurador romano, Félix, mandou-o chamar para ouvir a sua doutrina. Todo o poderio do império romano estava representado no procurador; e diante dele, rodeado de soldado, o Apóstolo prisioneiro. No entanto, diz-nos a Sagrada Escritura que ao falar S. Paulo da justiça, da castidade e do juízo futuro, Félix tremeu de medo ( Act. dos Ap. 24,25.) A fé na vida de além-túmulo, a consciência de ter que dar contas um dia, faz tremer não só ao procurador romano, mas a todos os homens. Oxalá pensássemos muitas vezes nesta verdade, principalmente quando as tentações nos incitam a pecar.
Houve em Paris um chefe de policia que lutou de modo curioso e eficaz contra os borrachos que cambaleavam aos berros pelas ruas. Mandou simplesmente filma-los quando se encontravam naquele estado. Depois de recuperarem o estado normal. fazia projetar diante deles aquelas cenas. O assombro era enorme. Cada movimento e cada gesto descomposto, feito nas horas de embriagues, constituía uma forte repreensão; envergonhava-os a abjecção espantosa a que o vicio os condenara.
Também vai perpassando pelo mundo um filme gigantesco , a omnisciência de Deus. Nele se vão gravando todas as nossas palavras, ações, desejos, planos, todos os nossos segredos.....
Ai! que vergonha, no dia do juízo,quando se desenrolar este filme, e vejamos, como a mente iluminada pela luz eterna, o que praticamos na embriagues da vida terrena.
Infelizmente, aos homens não lhe agrada este pensamento. As preocupações terrenas absorvem-nos de todo. No dia do juízo há de lhes suceder o mesmo que ao celebre arqueólogo que andava explorando regiões do Nilo. Quis passar numa barca para a outra margem do rio, e enquanto o barqueiro remava, o sábio começou com ele a seguinte conversa:
- Sabes a língua sanscrista ? - Perguntou ao barqueiro.
- Não sei, não senhor.
- Conheces as estrelas?
- Não,senhor.
- Estudaste,a historia desta terra?
-Não, senhor,não estudei.
- Homem! exclamou o sábio, perdeste metade da tua vida.
De repente principiou a soprar um vento forte, e as ondas encrespadas fizeram voltar a barca.
- Senhor, grita o barqueiro, sabe nadar?
- Não sei.
- Então perdeu a vida inteira.
O barqueiro chegou à outra margem mas o sábio afogou-se!....
De quantas coisas se preocupam tantos homens neste mundo, e só descuram a vida eterna! Quantas coisas supérfluas vão aprendendo durante a vida, e só se esquecem de aprender a nadar para quando sobrevier o furação do juízo final!
Seja para nós a fé na vida eterna uma advertência continua!

Texto tirado do livro A vida eterna
autor Bispo Húngaro Tihamer Tóth.



Nenhum comentário:

Postar um comentário