Sufrágio

18 de out de 2010

Jesus Cristo pregou a vida eterna.

Folheamos o Evangelho, Não aparece outro pensamento tantas vezes e tão diversamente repetido, como o da vida eterna, da fé no outro mundo. Desta verdade parte Cristo, e a ela volta sempre. O fundamento de todos os seus ensinamento é uma só ideia: salva a tua alma! Mas, para que salvá-la, se não há outro mundo?
Examinemos a doutrina do Senhor. Vejamos quantas vezes e com que insistência repete Jesus Cristo que esta vida terrena não é mais que o princípio,um tempo provisório de prova, um prólogo cujo livro só se verá na vida sem fim. Que variadas são as palavras do Senhor relativas à vida eterna! " Estai preparados porque na hora em que menos penseis, há de vir o Filho do homem"
"Vigiai, porque não sabeis o dis nem a hora".
Para que vigiar e orar, se com a morte tudo se acaba? " Trabalhai por ter, não tanto o manjar que se consome, como o que dura para a vida eterna"
"Quem comer deste pão, viverá eternemente". " A porta grande e o caminho largo conduzem à perdição, e são muitos os que entram por ele. Oh ! que estreita é a porta e que apertada é a senda que leva à vida eterna! E que poucos são os que atinam com ela!".
E ai estão estas outras palavras que irradiam amor tão comovedor e profundo: Amou Deus tanto ao mundo, que não descansou até dar o seu Filho unigénito, a fim de que todos os que crêem n'Ele não pereçam, mas vivam para a vida eterna."
Vejamos como prepara os Apóstolos para as perseguições: Não temais aos que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes ao que pode lançar-vos a alma e o corpo no inferno".
fixemo-nos na grande promessa que nos dirige a todos: " Quem como a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia."
Como que incompreensão recebem muitos homens estas palavras de Cristo! " Ressuscitá-lo-ei? Vivera o morto? Será possível ? Não será um exageração atrevida?" Quantos não encolhem os ombros! Quantos incrédulos! Quantos os que zombam desta promessa de Cristo!
Zombam? Sim. Como Zombaram e se riram de Cristo muitos outros durante a sua vida terrena. Como se riram d'Ele quando se acercou da filha de Jairo, que estava morta, e dirigindo-se aos que choravam, lhes disse: " Porque vos afligis tanto porque chorais? A menina não está morta; dorme..." E zombavam d'Ele " - acrescenta a Sagrada Escritura.
Mas Cristo não reparou naquela zombarias. Tomou a mão da menina e disse: " Menina, eu te mando, levanta-te". E ela levantou-se e começou a andar.
Vede como Jesus Cristo ensinou muitas vezes e decisivamente, de inumeráveis modos e com milagres, que a vida terrena continua para além do pó da sepultura, e que há uma vida para sempre. O mesmo ensinam as suas parábolas e comparações, cada qual mais bela.
Os agricultores querem separar a cizânia do trigo; mas o Senhor diz-lhes que ainda não é hora de lhe tocar. Quando chegar o tempo, poderão escolher a cinzânia e deitá-la ao fogo.
Os pescadores escolhem os peixes bons que há na rede e atiram os de má qualidade ao mar.
"Isto acontecerá no fim dos séculos. Virão os anjos e separarão os maus de entre os justos". O homem rico disse ao seu feitor: " Dá-me conta da tua administração". O esposo diz às cinco virgens loucas : Em verdade vos digo, que não vos conheço". Disse o Senhor ao servo fiel: " Muito bem, servo bom e fiel, vem a tomar parte no gozo do teu senhor". Se resumirmos todos estes ensinamentos, temos de concluir que a missão, a vida, a paixão e morte do salvador, se baseiam no dogma inabalável da vida eterna. Por isso estabelece com tantíssima frequência e de uma maneira tão decidida, a diferença que existe entre esta vida terrena e a do Além. Por isso faz ressaltar que esta vida sem fim é a vida verdadeira, a vida feliz e bela. Todas as palavras que pronunciou Cristo, todos os actos que executou, todos os mandamentos que deu, todas as proibições que estabeleceu, pressupõem a vida eterna.




Nenhum comentário:

Postar um comentário